Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

Ângulo entre duas retas

Imagem
O próprio nome já é bem sugestivo, o ângulo entre duas retas não é nada além de um ângulo entre duas retas. Isto é desde que estas sejam concorrentes, não paralelas a nenhum dos eixos e não perpendiculares entre si.
Na nossa imagem o ângulo Θ é o nosso ângulo de separação. Isto de forma que podemos aceitar a equação da reta para estas duas, isto é desde que nenhuma seja perpendicular ao eixo das abcissas. 

Através da equação da reta, extrairemos os valores de Mr e Ms (coeficiente ângular das retas r e s respectivamente). Caso não conheça o método de cálcular o valor do coeficiente ângular basta clicar aqui.
Assim sendo, basta aplicar esta nova fórmula para obter o valor do ângulo entre as duas retas. Sem se esquecer de retirar o arco tangente no final da expressão.

Além disso é importante ressaltar que caso uma reta seja oblíqua e a outra vertical o ângulo de separação delas será tal que:

tgΘ=|1\Mr|

Equação da reta

Imagem
A equação da reta é uma das partes principais da geometria analítica é através dela que podemos determinar o coeficiente angular da reta. O coefeicinete angular de uma reta é a tangente de seu ângulo de inclinação, ou seja uma reta que esteja paralela ao ângulo de inclinação da nossa reta de referência (r).Para medirmos o coeficiente ângular de uma reta não paralela precisamos conhecer dois pontos desta reta. Ou, caso estejamos tentando calcular o coeficiente linear entre duas retas, precisamos conhecer ao menos um ponto de cada uma destas.

É importante saber que se a reta for perpendicular a o eixo das abcissas (formando um ângulo de 90°) será impossível determinar sua tangente,e, por sua vez não é possível calcular o coeficiente angular de uma reta perpendicular à abcissa.
Para encontra-lo precisamos primordialmente da equação fundamental da reta, dada por:
m = Δy/Δx Além desta toda reta possui uma forma generalizada de ser expressa, podendo ser inscrita pela forma: ax+by+c=0

Vejamos u…

Estrelas duplas

Imagem
Embora daqui todas  as estrelas  nós parecem solitárias e simplesmente abandonadas no cosmos, mais da  metade delas têm uma companheira, e a estas denominamos Estrelas Duplas. Os planetas do sistema solar, por exemplo, giram em torno do Sol graças à atuação da força da gravitacional. Esta força age também em corpos com menores massas, como estrelas.
Em outras palavras, consiste em duas estrelas que estão a uma  distância relativamente pequena e, por isso, dividem um mesmo baricentro (centro de massa). Mais de 50% das estrelas que conhecemos compõem  sistemas binários físicos, que diferenciasse de binárias aparentes.
Sobretudo é muito importante identifica-las corretamente, visto que muitas vezes há desacertos quanto à existencia real de um sistema duplo. Isto ocorre por que ,vistas da Terra duas estrelas podem parecer estar muito próximas, mas é apenas um problema de projeção.
Nestes sistemas podemos identificar também a estrela de maior massa a qual chamamos, primária. Já a sua camar…